quinta-feira, 13 dezembro 2018
Home Planejamento Financeiro Previdência Programando a Declaração do IR em 2019 – O fim do ano...

Programando a Declaração do IR em 2019 – O fim do ano está próximo!

4

O final de ano está chegando e com ele vem as celebrações em família, confraternizações com os amigos, viagens, presentes e muitos outros gastos que afetam o orçamento. Já nos primeiros meses do ano, gastos extras como IPTU e material escolar das crianças são contas inadiáveis. Aliado aos gastos extras, em meados de abril a declaração do imposto de renda surge como uma possibilidade de mordida do leão – e grande dependendo de sua renda.

Assim, o planejamento para o final do ano já deve ser programando os primeiros meses do ano – os mais difíceis. Alinhado a este planejamento, investidores podem contar com um benefício fiscal para investimentos em previdência PGBL.

Como funciona?

O benefício fiscal pode reduzir até 12% da base de cálculo do imposto de renda através de investimentos neste tipo de previdência.

Quando vale a pena?

Um dos requisitos para que valha a pena é realizar a declaração completa do imposto de renda e que haja imposto de renda a restituir. É bem importante verificar o método de recebimento de renda. Se é um profissional autônomo, a renda, em geral, é proveniente de divisão dos lucros auferidos, o que não contabiliza para a renda anual tributável. É interessante para funcionários públicos, já que possuem alta renda anual tributável.

Vantagens do Plano PGBL

É importante frisar que este benefício não inibe o pagamento de imposto. A característica principal do PGBL é que, em caso de resgates, o imposto de renda do investimento é sobre o capital total, e não somente pelos rendimentos auferidos. Assim, a escolha do regime de tributação se faz importante, podendo chegar até 10% em 10 anos caso escolha o regime regressivo.

Além disso, não há come-cotas (imposto de renda antecipado sobre os ganhos obtidos que é recolhido duas vezes ao ano, em maio e novembro), o que preserva o capital no horizonte de longo prazo.

Exemplo:

A simulação acima mostra que um investidor que possui R$ 300.000,00 em renda anual tributável pode investir no final do ano 12% (R$ 36.000,00) em uma previdência PGBL para se beneficiar do abatimento da renda, assim o investidor obtém um ganho fiscal simulado de R$ 9.900,00, seja na restituição ou diminuição do imposto a pagar.

Na segunda coluna, está uma simulação de um investidor que não optou por aportar 12%, mas sim R$ 10.000,00. Assim, o ganho fiscal simulado com este aporte foi de R$ 2.750,00.

Foi utilizado a plataforma de simulação de orientação e benefício fiscal da Icatu, disponível através deste link. Neste você pode realizar as projeções de acordo com seus valores.

É importante frisar que caso o investidor já possua outras deduções como despesas médicas, educacionais, dependentes ou até incentivos fiscais no ano, o cálculo simulado pode sofrer alterações.

Levando em consideração todos os aspectos abordados, conversar com o seu contador e simular os valores é uma alternativa interessante para aqueles que desejam obter este benefício e poupar um investimento para o futuro, e conseguir um ganho fiscal.

Estudante de Economia na UDESC/ESAG. Assessor na JB3 Investimentos e responsável pela equipe de assessores e operacional.

4
Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Jorge Barbato Neto
Visitante
Jorge Barbato Neto

Muito Bom o texto! Parabéns. Abraços

frugalidadehacker
Visitante

Olá, o site ficou muito legal! Gosto bastante do conteúdo de vocês.

Tenho uma dúvida: minha sogra tem conta em um Grande Banco Público, e tem um bom patrimônio em PGBL no mesmo banco. Ela está chegando à fase de usufruto do benefício, e, por isso, a gerente do banco sugeriu que ela fizesse a portabilidade para VGBL. Pelo que estudei, isso não é possível, procede?

PS.: uma sugestão pro sistema de comentários! Coloca um plugin de “social login”, pra gente poder comentar com a conta google ou wordpress.

Abraço