terça-feira, 20 agosto 2019
Home Entretenimento Tulipomania: a primeira bolha do mercado financeiro

Tulipomania: a primeira bolha do mercado financeiro

5
a primeira bolha do mundo

Certamente, você já ouviu falar sobre a Crise de 1929, um dos períodos mais marcantes pós Primeira Guerra Mundial, também conhecida como a Grande Depressão. Mais recentemente, você deve ter estudado ou até mesmo presenciado a crise imobiliária de 2008, também conhecida como a crise de subprimes.

O que você provavelmente não sabe é que a primeira bolha da história ocorreu ainda no século XVII, na cidade de Amsterdã, na Holanda, e que teve tulipas como grande causador. Isso mesmo, a primeira bolha especulativa foi causada por flores.

A origem da “Mania das Tulipas”

Ainda que atualmente os Países Baixos possuam as tulipas como símbolo, séculos atrás, estas não eram parte de sua paisagem. Foi em meados do século XVI, mais precisamente no ano de 1593, que o botânico Carolus Clusius levou à Holanda alguns bulbos de tulipas, após visitar Constantinopla, atual cidade de Istanbul, na Turquia.

Holanda Tulipas

As tulipas começaram a chamar a atenção da vizinhança e alguns passaram a roubar bulbos para revendê-los. Devido à raridade dessas flores no país, os holandeses criaram certa obsessão pelas tulipas, as quais vieram a se tornar símbolo de status no país, aumentando o seu valor.

Com o tempo, as tulipas foram se tornando cada vez mais conhecidas e, por consequência, a procura pelas flores começou a aumentar. Assim, alguns especuladores começaram a comprar bulbos para revender a preços mais elevados, os quais, em um único mês, chegavam a aumentar mais de 20 vezes.

Segundo a obra Crash – Uma breve história da economia, no ano de 1624, um único bulbo de tulipa chegou a valer o equivalente a uma casa em Amsterdã, chegando a R$ 200 mil. Atualmente, é possível adquirir 15 sementes de tulipa por apenas R$ 20,00, ou seja, o valor é 10.000x menor!

Tulipas na bolsa de valores

A valorização foi tanta que diversas pessoas começaram a trocar terras e imóveis por bulbos de tulipas. O resultado disso foi que, no ano de 1636, essas flores passaram a ser negociadas na Bolsa de Valores de Amsterdã!

Entretanto, como a floração das tulipas demora entre 7 e 12 anos após serem plantadas, acontecendo, ainda, somente nos meses de abril e maio, os negociadores começaram a vender contratos de tulipas. Em uma comparação com a atual bolsa de valores, esses contratos se assemelhariam aos contratos futuros. Eles determinavam, basicamente, que, ao final da temporada, o comprador adquiriria uma tulipa por determinado valor.

Plantações de tulipas na Holanda.

Não demorou para que esses contratos começassem a ser revendidos. Por exemplo: um especulador comprava um contrato por 1.200 florins e o revendia por 1.300 para outra pessoa que estivesse disposta a aguardar a valorização das tulipas. Até então, parecia um ótimo investimento, vez que o preço das flores não parava de subir.

A obsessão pelas tulipas era tamanha que não apenas a população com alto poder aquisitivo negociava esses ativos, pequenos poupadores também passaram a apostar nas tulipas. Passados mais alguns anos, a Febre da Tulipa ultrapassou as fronteiras da Holanda, adentrando países vizinhos como França e Inglaterra.

Todavia, a crise não demoraria a chegar e, no inverno de 1636, teve início não apenas a queda das tulipas, mas também a primeira crise do mercado financeiro.

A Crise das Tulipas

Da mesma forma que todas as bolhas iniciam, o aumento do preço das tulipas passou a ser insustentável, não havendo mais compradores interessados. Assim, um grande número de investidores começou a vender seus contratos de tulipas, até o momento em que passou a existir uma grande oferta e nenhuma demanda de compra.

Aliado a isso, muitos também relatam que o estopim se deu quando um comprador da cidade de Haarlem não honrou seu contrato de compra das tulipas holandesas. Juntos, estes fatores desencadearam um pânico no mercado das tulipas, fazendo com que seu preço despencasse em poucos dias.

O gráfico abaixo demonstra a queda no preço das flores no mês de maio, após ter atingido seu ápice em fevereiro de 1637:

Tulip price

Ou seja, todos aqueles que haviam investido suas economias em tulipas, apostando em lucros futuros, perderam tudo. O desespero era tamanho, que o próprio governou holandês tentou intervir, oferecendo 10% do valor original de cada contrato. Todavia, o mercado da tulipas continuou caindo.

No filme Wall Street: O dinheiro nunca dorme (2010), já indicado aqui no blog no post 7 Filmes sobre o mercado financeiro, o ator Micheal Douglas explica brevemente a Crise das Tulipas:

Gostou do conteúdo? Deixe nos comentários sobre quais outras curiosidade do mercado financeiro você gostaria de ler!

5
Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Edir Carvalho Filho
Visitante

Pois é, esta liquidez mundial agravada pela queda dos juros buscando desesperadamente uma reação na economia em todos os países, acabou alavancando o mercado acionário. A diferença para 29 e também no caso das tulipas é que o índice do medo cresceu bastante. Ainda tem muita gente disposta a retornos baixos ou até negativos na renda fixa visando evitar uma provável bolha. Aliás, a Nasdaq 100 parece mostrar desde abril que quando o índice se aproxima dos 8000 pontos ocorre um recuo. Hoje está mais distribuído, inclusive o ouro se beneficiou. Todavia, com certeza, em algum momento haverá devolução na… Read more »

André
Visitante
André

Baita artigo!! Façam mais conteúdos assim!

Nilsa
Visitante
Nilsa

Muito esclarecedor….gostei da leitura, aprendi um pouco de como funciona o mercado financeiro. Grata

Ramses
Visitante
Ramses

Li certa vez que a primeira bolha (“financeira”?!) teria ocorrido ainda no império romano e deu os dados de quando, mas não guardei a informação. Nunca mais ouvi falar da mesma. Fica o registro.