O impeachment de Trump e o vexame Democrata

0
foto da casa branca representando o impeachment de trump

Foi difícil para os democratas engolir a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de 2016, onde a então candidata Hillary Clinton era amplamente considerada como favorita na disputa. A derrota para os republicanos marcou uma terrível falha de estratégia política dos democratas, de tal forma que, na época, Trump era avaliado como uma zebra dentro do partido republicano.

A acusação dos democratas

Desde a vitória surpreendente de Donald Trump, ataques por parte da imprensa e de vários parlamentares democratas se tornaram frequentes, seja na tentativa desesperadora de afetar a imagem de um presidente com expressivo sucesso na política econômica, seja para retirá-lo do poder através de um processo de impeachment.

chamada para o post sobre impeachtment de trump

Depois de várias tentativas, na noite desta última quarta-feira os democratas enfim conseguiram avançar com um processo de impeachment na Câmara dos Deputados, sob acusação de abuso de poder e obstrução do Congresso. A acusação dos democratas está fundamentada numa suposta pressão da Casa Branca sobre a Ucrânia para obter benefícios eleitorais.

A resposta do mercado

A suposta base fraca da acusação não parece ter estremecido a Casa Branca, nem muito menos o mercado, que por sinal alcançou novo recorde histórico nesta quinta-feira.

O processo de impeachment de Trump parece apenas mais um dia de trabalho na política norte-americana. Aliás, as acusações começaram a surgir antes mesmo de Trump tomar posse e acabaram se tornando frequentes, deixando o eleitor e o próprio mercado acostumado com as reclamações dos democratas.

Democratas vs Republicanos

Na Câmara, todos os parlamentares republicanos votaram contra a abertura do processo de impeachment de Trump.

Por outro lado, todos os parlamentares democratas votaram a favor da abertura de um processo de impeachment contra Donald Trump. Sendo assim, o impeachment avançou na Câmara por maioria simples, já que os democratas possuem uma pequena vantagem de assentos.

O impeachment de Donalt Trump, que será julgado pelo Senado, possivelmente já no início do próximo ano, certamente será barrado. Os republicanos possuem 53 cadeiras, das 100 disponíveis. Para o impeachment ser aprovado, são necessários 2/3 dos votos, algo impossível de acontecer, já que o partido republicano está fortemente unido contra o processo e os democratas possuem apenas 47 senadores para, no máximo, fazerem um teatro para a imprensa.

O impeachment de Trump

Com todos os senadores republicanos já publicamente posicionados contra o impeachment do presidente norte-americano, o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, aproveitou para atacar duramente a oposição, ressaltando que os democratas sucumbiram à paixões transitórias e ao faccionalismo.

Aliás, McConnell disse ainda que a votação do impeachment na Câmara apenas refletiu como os democratas se sentem em relação ao presidente norte-americano.

A opinião popular

Além disso, uma pesquisa da Reuters/Ipsos, divulgada nesta última quinta-feira, mostrou que menos da metade dos norte-americanos concordam que Donald Trump deve ser afastado do cargo de presidente da república. A pesquisa foi realizada horas seguintes à votação da Câmara dos Deputados na quarta-feira e revela mais um erro de estratégia política do partido democrata, já que o eleitorado não se convenceu.

Apesar de ser um ato raro para os Estados Unidos (o terceiro de toda a história), o atual processo de impeachment contra o presidente Donald Trump é considerado muito controverso e pode acabar gerando efeito colateral negativo ao partido democrata.

E agora democratas?

A sinalização de que os próprios democratas possam estar reconhecendo a falha está no pequeno grupo de pré-candidatos presidenciais que confirmaram presença num debate para escolha do candidato do partido nesta quinta-feira. Este será o sexto debate na corrida para decisão do nome que irá enfrentar Donald Trump nas eleições de 2020, porém com o menor número de participantes desde o início do ciclo de debates.

Em Wall Street, o clima é de um processo de impeachment desprezível. Desde quando a discussão atual começou ganhar mais força na Câmara, em meados do mês de outubro deste ano, o S&P500 acelerou a trajetória altista, chegando alcançar nova máxima histórica aos 3.200 pontos nesta última quinta-feira.

Três anos após a derrota vergonhosa de Hillary nas eleições presidenciais, os democratas voltam a passar vexame nos Estados Unidos com esse processo de impeachment. Quanto mais erros estratégicos dos democratas, maiores serão as chances de reeleição de Trump em 2020.

Saiba mais sobre como a corrida presidencial norte-americana pode impactar em seus investimentos! Converse com um de nossos assessores clicando aqui!

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of