Em reunião de emergência realizada nesta sexta-feira, fora do calendário de encontros do Comitê de Política Monetária, o BoJ tomou mais uma decisão de política monetária inédita.

Programa de empréstimos do Boj

A autoridade monetária japonesa apresentou um programa de empréstimos a pequenas e médias empresas, com o objetivo de injetar cerca de 280 bilhões de dólares no caixa destas empresas. A medida é mais uma das várias ações já tomadas para reanimar a economia e impedir um mergulho ainda maior no quadro recessivo.

Nesta reunião de emergência, também ficou decidido a prorrogação por mais seis meses de uma série de medidas de incentivos anunciadas na última reunião do Comitê de Política Monetária. O pacote de medidas do BoJ para combater a guerra econômica imposta pelo coronavírus já alcança 75 trilhões de ienes, o que representa cerca de 697 bilhões de dólares a serem injetados no sistema.

O novo programa de empréstimos anunciado emergencialmente nesta sexta-feira vai inserir 30 trilhões de ienes (cerca de 279 bilhões de dólares) ao caixa dos bancos comerciais. O recurso deverá ser estritamente redirecionado pelos bancos japoneses à operações de crédito para pequenas e médias empresas.

Incentivo aos bancos

Além de injetar o dinheiro nos bancos comerciais, o BoJ também vai pagar uma taxa de juros de 0,1% às instituições financeiras que ampliarem seus empréstimos as pequenas e médias empresas. Em outras palavras, além de os bancos receberam dinheiro do BoJ, vão começar a receber também juros pelo simples fato de estarem concedendo empréstimos.

O Banco Central do Japão também prorrogou até março de 2021 um outro alívio emergencial à economia anunciado no mês de março. Entre as medidas anunciadas anteriormente, destaque para aceleração nos programas de compras de títulos corporativos, papéis comerciais e operações de empréstimo a juros zero já fechados pelos bancos comerciais.

Quantitative easing do BoJ

Além disso, o BoJ mantém seus programas de quantitative easing, iniciados há quase 20 anos, que desde 2008 estão se tornando cada vez mais robustos. Atualmente, o Banco Central do Japão compra títulos da dívida pública e privada, ações, ETFs, entre outros. É o principal player comprador do mercado financeiro local.

Na política monetária, o BoJ mantém sua meta de juros de curto prazo negativa, em -0,1% e meta de juros zero nos rendimentos dos títulos do tesouro japonês de 10 anos em zero.

Gráfico: JPT10Y: 10-Yar Japan Treasury - BoJ
Gráfico: JPT10Y: 10-Yar Japan Treasury

Uma das metas mais ousadas para a política monetária moderna (juros futuros zero na ponta longa) tem funcionado no Japão há alguns anos. Conforme pode-se constatar no gráfico acima, a taxa de juros do título da dívida do governo japonês com vencimento em 10 anos está oscilando em torno da meta de rendimento zero do BoJ desde 2016.

Quer um portfólio de investimentos com os melhores produtos do país e do mundo, que equilibre gestão de risco e maximização da rentabilidade? Clique aqui!

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Comentário
Nome