Indicadores ao Investidor V: Produção Industrial e Bolsas de Valores nos Estados Unidos

1
Mercado de Capitais dos EUA

O Mercado de Capitais é muito dinâmico, tudo acontece muito rápido.

Sendo assim, preparamos um resumo do Cenário do Mercado de Capitais no momento, com produção industrial dos EUA, Dow Jones, Economia Real e mais!

1 – Variação da produção industrial dos Estados Unidos, segundo relatório do G17 do FED

Um dos principais indicadores da economia é a Produção Industrial. A variação da PI dos USA, maior indústria do mundo, eixo importante da economia central do sistema, costuma ser um ótimo termômetro do desempenho global da indústria de transformação.

Os dados mais atualizados do G17 publicado pelo FED (principal boletim de Produção Industrial dos Estados Unidos) mostram qual é o atual desempenho diante da crise é histórico:

A close up of a map

Description automatically generated

A produção industrial dos USA, que demorou 10 anos para voltar a níveis pré-crise financeira de 2008, voltou para o mesmo nível da crise anterior em apenas 1 mês, mais abaixo ainda quando analisamos isoladamente a indústria de manufaturas.

A close up of a map

Description automatically generated

O movimento e o nível atual da Utilização da Capacidade Instalada (UCI) é o menor já registrado pelo indicador. A UCI representa na prática quantos % da planta industrial instalada está sendo usada atualmente. Indicador muito importante para necessidade ou não de novos investimentos.

Quando adentramos no dado da indústria de produção de Veículos o número é ainda mais relevante: Este é o nível mais baixo de produção industrial desde início da medição do boletim.

A close up of a logo

Description automatically generated

2 – Dow Jones – índice da Bolsa onde negociam as Indústrias do USA

Diante dos dados apontados anteriormente, como está sendo negociado o índice Dow Jones, que mede a média de variação das ações das empresas industriais dos Estados Unidos?

Bem diferente do indicador econômico: O sombreado elíptico vermelho, é a queda das ações em 2008, diante da crise financeira global originada no sub-prime. E o retângulo em verde reflete o nível de variação do índice desde 2008 até hoje, mesmo diante da crise atual no preço das ações, o índice encontra-se 277% acima do valor do fundo de 2008.

Historicamente Dow Jones e Produção Industrial andavam correlacionados. Por que existe esse descolamento entre a Produção Industrial e a variação do preço das ações das empresas desde 2008 e sobretudo essa diferença de patamar na crise atual?

Alguns são os pontos, muitos deles já abordados aqui nos artigos anteriores, e outros iremos abordar mais a frente. Para resumi-los podemos citar alguns pontos importantes:

– Lucros das empresas X Produção Industrial:

Precisamos lembrar que quando você investe em uma empresa, você está fazendo parte do lucro ou perspectiva de lucro futuro dessa empresa. Nem sempre o volume de produção industrial reflete o lucro da empresa.

Questões tecnológicas e financeiras impactam diretamente o lucro das empresas mas nem sempre a produção industrial, sobretudo nos últimos anos, com o crescimento do lucro das empresas financeiras e de tecnologia, com o aumento da margem de lucro, e custo de endividamento mais barato em função das baixas taxas de juros.

– Composição do Índice de Ações:

Exemplos de empresas no top 30 do Dow Jones que podem refletir esse descolamento na relação do quadro citado acima, entre aumento do crescimento de lucro X crescimento do volume de produção industrial:

Microsoft, Apple, Visa, JPMorgan, Intel, Verizon, Cisco, IBM, American Express, 3M, Goldman Sachs…

– Crescimento da economia financeira em relação a economia real:

Em 2001 o tamanho do PIB Mundial X PIB Financeiro era aproximadamente 1 para 1, antes da crise atual, segundo dados do Credit Suisse, esse valor já era de 6 para 1. Crise atual deve acentuar ainda mais essa diferença, ou seja, dada liquidez mundial e baixo crescimento da economia real, o capital tende a migrar mais para os mercados do que a própria reprodução na economia “física”.

– Pacotes de estímulos Governamentais:

Os Governos das principais economias do Mundo (USA, Japão e Zona do Euro) passaram a estimular, monetariamente e fiscalmente, as economias pós crise de 2008, com os maiores pacotes de estímulos já observados na história. Isso, dentre outros aspectos, refletiu no seguinte quadro.

– Juros baixos por muito tempo

A manutenção de taxas de juros muito baixas, por vezes negativas, estimula os investidores a aumentarem suas posições no mercado financeiro. Tanto do ponto de vista de alocação de capital, como facilidade de captação dos recursos.

3 – Na crise atual, como está variando o Dow Jones?

A screenshot of a video game

Description automatically generated

Depois da queda de quase 37% observada durante a crise atual, desde o anúncio dos pacotes trilionários de estímulos o Dow Jones já subiu 32%, com um espaço de ainda 20% para patamares anteriores.

A questão é, o que o mercado está precificando nesse momento?

Para mim, vemos os investidores ignorando boa parte dos indicadores ruins da indústria, parecem otimistas com a duração do período de quarentena e com os pacotes de ajuda financeira, posicionando seus investimentos para uma recuperação gradativa do lucro dessas empresas.

Isto quer dizer que é um bom momento para maior exposição na bolsa industrial dos USA? Depende muito de como está o seu portfólio atual de investimentos, qual proporção já havia sido posicionada antes da crise e qual nível de risco e retorno atual de sua carteira.

Quando olhamos os dados fundamentalistas, depois da recente subida, podemos ver alguns preços em relação ao lucro das empresas, em patamares historicamente altos (caros).

Na medida que forem saindo os resultados trimestrais e demais indicadores, em paralelo com os dados da COVID19, mercado vai ajustando esses preços, naturalmente tendo correções no curto prazo. O que me parece, conforme artigos publicados nas semanas anteriores, é que caso continuemos pelo caminho da recuperação, a velocidade pode não ser a mesma que observamos nas últimas semanas.

Quer um portfólio de investimentos com os melhores produtos do país e do mundo, que equilibre gestão de risco e maximização da rentabilidade? Clique aqui!

Economia Real X Mercado de Capitais:

Com os dados aqui apresentados hoje, mais uma vez confirmamos aquilo que abordamos diariamente junto a nossos clientes: investir em ações e no Mercado de Capitais como um todo, não necessariamente reflete um dado econômico isolado, por mais sentido que ele faça.

Ao compramos um ativo, não estamos comprando PIB, Indústria, emprego ou desenvolvimento de uma nação; e sim, estamos fazendo parte do lucro gerado por aquelas empresas.

Portanto, devemos ter uma análise ampla dos dados e cenário econômico, e ao mesmo tempo, entender do funcionamento dos mercados. Desta forma equilibramos um portfólio, posicionado para não perdermos as oportunidades de rentabilizar nosso patrimônio, mas mantendo os investimentos de forma saudável por meio da gestão de risco, adequadas ao perfil do investidor.

Assessor de Investimentos

1 COMENTÁRIO

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Comentário
Nome