Se você já teve contato com as terminologias Long Biased, Long & Short e Long Only ao analisar fundos de investimento, mas não faz ideia de qual a diferença entre elas, este post é para você!

De maneira geral, os fundos de investimentos possuem diversas classificações e subclassificações formais. Além disso, o mercado financeiro se reinventa a cada dia e novas estratégias de investimento surgem a todo momento. Ter o conhecimento de todas os tipos de estratégia para quem não está no dia-a-dia não é uma tarefa simples, principalmente quando há grande uso de “jargões” na língua inglesa.

Conceitos básicos sobre fundos de investimento

Mas antes de entendermos como funciona cada estratégia, vou trazer alguns conceitos básicos que você precisa entender:

  • Long: é a parcela do fundo que está comprada (esperando pela alta) em ações.
  • Short: é a parcela vendida (esperando pela baixa) do fundo. Para ficar vendido, o gestor aluga a ação (BTC) e a vende no mercado, acreditando que quando for devolvê-la ele poderá recomprá-la a um preço menor do que a vendeu. Também é possível montar uma posição short através de opções ou do mercado futuro.
  • Exposição Líquida: representa uma medida de direcionamento do fundo, calculado pelo valor das posições compradas subtraído pela parcela vendida, dado em percentual de patrimônio líquido. Quanto maior a exposição líquida do fundo, mais exposta está à variação do Ibovespa.

Agora que você já conhece esses conceitos, vamos partir para as estratégias:

Long Only

Um fundo Long Only é o que tem a estratégia mais simples, pois é aquele que só pode operar comprado, em outras palavras, somente efetua a ponta Long. Assim, a forma que o gestor obtém ganhos é apostando nas altas dos preços das ações que comprou.

É muito importante ressaltar que por norma da CVM, no mínimo 67% do patrimônio líquido do fundo de ações deve ser composto por: ações, bônus ou recibos de subscrição, cotas de fundos de ações, cotas de fundos de índice de ações ou BDRs (Brazilian Depositary Receipts). Como só pode ficar comprado, a principal maneira que o gestor tem para se proteger em momentos de crise dentro do mercado é aumentando seu caixa, ou seja, diminuindo sua exposição líquida.

O pior cenário para essa modalidade de fundo é quando as ações compradas se desvalorizam, chegando ao limite de desvalorização, que é R$0,00. Assim, ele perderá o valor total da compra das ações.

Dentre os fundos de investimento que operam ações, este são os que possuem a maior correlação com o índice Ibovespa. Por isso, são os que tendem a subir mais em momentos de alta do mercado, mas também tendem a cair nas baixas.

Long & Short

Fundos Long & Short buscam ganhos por meio de operações de valor relativo entre ações, em que há simultaneamente compra e venda de papéis. Tornando possível ganhos tanto em momentos de alta quanto em baixa no mercado.

Os fundos de investimento Long & Short tem diversas possibilidades e vamos abordar aqui as mais conhecidas. A Intersetorial é quando o gestor compra papéis de um determinado setor e vende de outro, esperando que o setor comprado tenha uma performance melhor que o vendido. Já na estratégia Intrassetorial, o foco é na diferença de performance entre empresas de um mesmo setor.

Também podem haver operações relacionadas a uma mesma companhia, como por exemplo comprar uma ação ordinária (PETR3) contra uma preferencial (PETR4) e vice-versa. Também é possível realizar com Holding x Subsidiária como por exemplo ITSA4 contra ITUB4.

Dentre as estratégias Long & Short, temos a distinção em relação à exposição líquida do fundo. Em um Long Short Neutro, as operações compradas possuem exposição equivalente às de operações vendidas, ou seja, a exposição líquida é zero. No caso de um Long Short Direcional, existe uma exposição líquida não muito expressiva, mas diferente de zero que pode ser positiva (comprada) ou negativa (vendida). Por isso, a correlação desses fundos de investimento com com Ibovespa é muito baixa e o benchmark deles é muitas vezes é o CDI.

Long Biased

Os fundos de investimento Long Biased podem ter tanto posições comprada como também vendidas, mas possuem principalmente um “viés comprado”. São estratégias que possuem bastante flexibilidade e ficam no meio do caminho entre os Long Only e os Long Short em relação à exposição líquida.

Muitos investidores acredito que um fundo Long Biased tem uma exposição ao risco maior que os Long & Short pelas operações não serem “casadas”, mas tudo isso depende muito do gestor.

Assim, como o gestor tem muita liberdade para realizar as operações, o fundo pode se mostrar ideal para se defender em momentos de baixa do mercado, já que possuem a capacidade de reduzir sua exposição líquida aumentando a parcela vendida ou aumentando o caixa. Assim, essas operações podem reduzir sua correlação com o índice Ibovespa, mas tudo isso depende da capacidade do gestor de prever quedas ou altas dos ativos e assim acertar o timing das operações.

Conclusão sobre a estratégia de fundos de investimento

É muito importante ressaltar que a principal diferença entre um fundo Long Only para um Long & Short ou Long Biased está na perda máxima do gestor. O pior cenário para um fundo Long Only é apostar na alta e as ações compradas se desvalorizarem, chegando ao limite de desvalorização, que é R$0,00. Assim, ele perderá o valor total da compra das ações.

Para fundos que operam vendidos, não existe um limite de valorização de uma ação. Assim, se ele aluga uma ação apostando que os preços vão cair e na verdade eles sobem, ele tem a obrigação de recomprá-las no final do contrato ou de suscetíveis renovações do mesmo, podendo perder um valor indeterminado.

Para mais detalhes, é importante contar com um especialista em produtos financeiros, pois a confiança na estratégia do gestor e segurança na hora de aplicar fazem toda a diferença!

Clique aqui para agendar uma conversa com um Assessor!

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Comentário
Nome