CDB rende mais que a poupança

Entre as aplicações de renda fixa, a poupança e o CDB são os mais conhecidos dos investidores, pois estão disponíveis na maioria dos bancos e possuem a mesma comodidade e segurança. Mas e quanto à rentabilidade? Qual das duas opções leva vantagem? Você sabia que o CDB rende mais que a poupança?

Entenda como funciona cada uma dessas aplicações e compare seus rendimentos:

CDB

Os CDB’s (Certificados de Depósito Bancário) são títulos emitidos por instituições financeiras. Quando você aplica em um CDB, você está emprestando seu dinheiro para o banco, e por esse empréstimo ele te paga uma taxa de juros.

O objetivo de um banco quando emite um CDB é captar recursos e repassar para clientes que necessitam de empréstimos ou financiamentos.

Poupança

A caderneta de poupança é um tipo de conta bancária que você guarda seu dinheiro e ganha um percentual sobre o valor aplicado.

Por ter praticidade e liquidez é muito popular entre os brasileiros, mas com a mudança do cenário econômico, deixou de ser uma opção rentável.

Segurança Poupança vs CDB

O CDB e a Conta Poupança possuem o mesmo nível de segurança, pois ambos contam com a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito) .

O FGC é uma instituição privada, que protege o capital e a rentabilidade dos investidores contra surpresas como falência do banco ou não pagamento das aplicações.

A proteção para aplicações é de até R$ 1 milhão por CPF ou CNPJ, dentro do limite de R$ 250 mil por instituição emissora, incluindo juros acumulado.

Caso o banco emissor do título comprado vá a falência, o FGC garante ao investidor a devolução em até 30 dias, regulamentado por lei.

Rentabilidade da Poupança vs CDB

O rendimento da Poupança, é definido pelo Banco Central, e é a mesma para todos os bancos e ocorre sempre no dia de aniversário da aplicação. Isso significa que qualquer valor resgatado antes do vencimento não será acrescido dos ganhos.

Atualmente, a poupança rende 70% da taxa Selic (taxa básica de juros da economia, que atualmente está em 2% ao ano.)

Já os rendimentos dos CDB’s variam entre as instituições, e estão relacionados a fatores como o tamanho da instituição, o volume investido, a liquidez e o vencimento dos títulos.

Na maioria das vezes, o CDB rende mais que a poupança.

Eles podem ter três categorias:

Pré – fixados:  Nos CDBs pré-fixados, a taxa de juros  é definida no momento da aplicação, sendo possível determinar quanto renderá o investimento antes do vencimento do prazo do título. Por exemplo, 10% ao ano.

Pós-fixados: No caso dos CDBs pós-fixados, a rentabilidade é determinada através de um percentual sobre um índice, como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que por sua vez fica próximo à Selic. Esses taxas atualmente variam entre 80% e 160% do CDI.

Híbrido: O CDB híbrido nada mais é que uma união do CDB pré-fixado com o pós-fixado: uma parte da rentabilidade é estabelecida no momento da aplicação e a outra parte é atrelada a um índice econômico, como o IPCA. Por exemplo, o rendimento do título seria calculado da seguinte forma: IPCA + 5% ao ano.

Se considerarmos a inflação anual, a poupança está com a rentabilidade negativa, portanto os CDB’s são opções mais rentáveis e com a mesma segurança. Através de uma corretora como a XP Investimentos você consegue ter acesso a CDB’s de diversas instituições financeiras com bons rendimentos.

Reserva de Emergência

Concluindo o comparativo entre CDB e Poupança, é possível avaliar que o CDB é tão seguro quanto a poupança, possui mais variedade no mercado de investimentos e mais liquidez, já que a Poupança trabalha com a data de aniversário da aplicação.

Saiba mais sobre reserva de emergência clicando aqui!

Para encontrar a melhor opção disponível no mercado, de acordo com seus prazos, volume e liquidez, entre em contato com o time de especialistas da JB3 Investimentos. Clique aqui!

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Comentário
Nome