Nesta terça-feira 03 de novembro de 2020, as atenções mundiais estão voltadas para as eleições nos EUA, pois é o dia da votação e o início da apuração dos votos.

De acordo a plataforma Fivethirtyeight, que compila dados de todo o processo eleitoral unindo todas as pesquisas de intenção de voto feitas por jornais e instituições, o democrata Joe Biden possui 53,4% das intenções dos votos, enquanto republicano Donald Trump conta com 45,3%.

Nesta matéria de setembro falei sobre os dois cenários mais prováveis das eleições nos EUA: Vitória de Joe Biden (Democrata) com o Congresso dividido e Vitória e Donald Trump (Republicano) com o Congresso dividido

Com o início das apurações, os cenários continuam sendo estudados por investidores e analistas, e surgiu uma outra possibilidade preocupante para o mercado: o risco de judicialização do resultado, após Trump ter levantado questionamentos sobre a validade do processo, em razão dos votos pelo correio, que neste ano, foi a opção de 82 milhões de votantes.

Antes de rever os cenários e analisar novas possibilidades, vamos entender como funciona o Sistema Eleitoral Americano:

Sistema Eleitoral Americano:

O que um candidato à presidência dos Estados Unidos precisa para se eleger é conquistar a maioria dos votos dos delegados que compõem o Colégio Eleitoral. Ou seja, pelo menos 270 dos 538 em disputa.

Quando os eleitores norte-americanos votam, eles estão decidindo para quem vão entregar os delegados de seus estados. E estados com mais habitantes têm mais delegados no Colégio Eleitoral, portanto, mais peso na decisão.

Por exemplo, se um candidato vencer na Califórnia, mesmo que por uma margem pequena, ele ganhará todos os 55 votos do colegiado, que serão somados aos outros estados em que obtiver maioria.

Também estarão em disputa todos os assentos da Câmara dos Representantes e um terço dos assentos do Senado. Assim, o presidente que tiver um apoio majoritário no Congresso, tem mais chances de aprovar os seus projetos.

Se você tem R$100 mil para investir, confira nossa carteira exclusiva de BDRs e invista nas principais ações americanas como Apple, Facebook ou Nike! Clique aqui e agende uma conversa com um Assessor de Investimentos!

Possíveis cenários das eleições nos EUA

Sabendo como funcionam as eleições nos EUA, vamos entender os possíveis cenários e seus prováveis impactos para o mercado financeiro:

Cenário 1: Biden vence e conquista a maioria no Congresso

Para o time de analistas políticos da XP, com o controle do Congresso, Biden encontraria pouca resistência para avançar com propostas mais arrojadas, como o aumentos de impostos voltados para empresas e pessoas de maior renda, o que pode ser uma má notícia para o mercado de ações.

Cenário 2: Biden vence, e controle do Congresso fica dividido

Segundo o InfoMoney, este resultado daria pouco espaço para que a ala mais progressista do Partido Democrata, que defende propostas como a quebra do monopólio de empresas de tecnologia ou a proibição de seguros de saúde privados, tenha forte influência nas decisões da Casa Branca.

Além disso, será mais difícil para Biden colocar em prática o aumento de impostos, se tornando um cenário mais equilibrado.

Cenário 3: Trump vence, mas controle do Congresso fica dividido

Seria praticamente mantido o  cenário atual. Os democratas manteriam sua maioria na Câmara, e os republicanos controlariam o Senado. O que não traria muita volatilidade ao mercado.

Cenário 4: Trump vence e controla o Congresso

Com esse cenário, Trump conseguiria implantar sua política de redução de impostos e desregulamentação da economia. O atual presidente é considerado mais pró-mercado e comprometido com a melhoria do ambiente de negócios.

Cenário 5: Resultado das eleições nos EUA é contestado na Justiça

O pior cenário para os investidores, pois se um dos candidatos não aceitar e contestar o resultado na justiça, gerará uma incerteza política que afeta diretamente o mercado, e no Brasil, teríamos alta do dólar, dos juros e queda generalizada das ações.
Caso o S&P 500 tenha uma forte queda, dificilmente o Ibovespa passaria ileso, segundo o Estrategista-Chefe Fernando Ferreira.

Datas das eleições nos EUA que você precisa ficar de olho!

Data O que ficar de olho
3 de novembroA partir das 21h – Os primeiros estados começam a fechar as urnas e algumas pesquisas de boca de urna devem começar a sair.
4 de novembro3h da manhã – O último estado, Alaska, fecha suas urnas.
A partir de 4 de novembroExpectativa pelo resultado. Em um processo normal, o vencedor é anunciado neste dia, mas este ano a expectativa é que demore mais dias, ou até semanas.
8 de dezembroData para resolver disputas internas sobre os resultados. Este dia, conhecido como um “porto seguro”, não é um limite legal, mas apenas uma recomendação protocolar.
14 de dezembroData limite para que os estados enviem os resultados ao Congresso, com possível extensão até o dia 23 de dezembro.
6 de janeiro de 2021Data que a Constituição americana determina que o Congresso deve se reunir para oficializar o resultado eleitoral.
20 de janeiro de 2021Dia da posse. Em 2017, o evento teve início às 11h30, horário local.

Fonte: Infomoney

Para investir nesse período de incertezas nos mercados mundiais e lidar com a volatilidade do mercado, conte com o apoio de um assessor da JB3 Investimentos, profissional especializado que irá te orientar a escolher os melhores produtos e proteger sua carteira.

Clique aqui e agende sua conversa gratuita com um assessor de investimentos!

Fonte: XP Investimentos, Suno Research e InfoMoney

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Comentário
Nome