fbpx
Ações

B3: O que é e como funciona a Bolsa de valores?

Stéfano Caiula-
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A B3 (bolsa de valores brasileira) teve um boom de investidores nos últimos anos. Muitos começaram a investir em renda variável, seja para conseguir maiores lucros, já que a baixa taxa de juros no país fez que muitos investidores migrassem da renda fixa, como pelo acesso a novos investimentos.

Porém, apesar de operar nesse ambiente, muito investidores desconhecem a história da B3 e todas as suas funções. Esse texto vai te ajudar a compreender melhor o papel dessa empresa no mercado.

História da B3

A B3 é a bolsa brasileira, sendo o seu nome uma abreviação para Brasil, Bolsa, Balcão.

Ela é a única bolsa brasileira em operação atualmente e surgiu, oficialmente, em 2017, logo após a fusão da BM&F Bovespa com a Cetip. A própria BM&F Bovespa já era fruto da fusão de outras duas empresas: a Bolsa de Valores de São Paulo (ou Bovespa) e a Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo. A BM&F Bovespa se juntou à então Cetip, a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos, fundando a B3.

A Cetip realizava as operações de títulos de renda fixa, além de outros ativos financeiros. Criada em 1984, ela era responsável pela liquidação financeira de títulos do mercado. Ou seja: a Cetip fazia a custódia, o registro, a liquidação e toda a operação relacionada a ativos como cotas de fundos de investimentos, COEs, CDBs e títulos de crédito privado, além do processamento de TEDs e DOCs. Não apenas os investidores dependiam dela, mas todos que tinham uma conta bancária.

BM&F

Por outro lado, a BM&F, que significa Bolsa de Mercadorias e Futuros, foi criada para negociar contratos futuros de commodities e derivativos financeiros de índices e moedas. Contratos de boi gordo, café, soja, milho e índices futuros são alguns exemplos. Ela iniciou suas atividades em 1986 e em 1991 se uniu com a Bolsa de Mercadoria. Esta foi criada por um grupo de empresário paulistas em 1917 e foi a primeira bolsa a realizar negociações de contratos agropecuários.

As empresas que hoje fazem parte da B3 uniram suas forças para que a infraestrutura do negócio e o conjunto de serviços e produtos oferecidos ao mercado financeiro ganhassem força. Elas também puderam cortar despesas operacionais em comum devido à sinergia das operações. O resultado disso foi um aumento significativo de rentabilidade e eficiência da empresa.

Guia prático para operar na Bolsa de Valores

Para que serve a B3?

Acima de tudo, ela representa o ambiente onde são feitas as negociações de compra e venda de ativos e abrange a bolsa de valores e de mercadorias e futuros. Na prática, a B3 funciona como um grande mercado no qual são negociados diferentes contratos, títulos, empresas e moedas.

A B3 possui sistemas e serviços para:

Quais são as funções da B3?

Bolsa de valores

A primeira, e mais conhecida, função da B3 é a de garantir o funcionamento da bolsa de valores. Isto é, de oferecer um ambiente de negociação em que os investidores tenham segurança e liquidez para comprar e vender os mais diversos valores mobiliários. Portanto, é aqui que você faz suas operações com renda variável, como ações, ETFs, Fundos Imobiliários e derivativos.

Além de garantir um ambiente estável para a negociação dos ativos entre os investidores, a B3 também oferece a oportunidade para empresas de capital fechado se tornarem companhias de capital aberto, colocando suas ações para circulação no mercado.

Portanto, neste processo chamado de IPO (Initial Public Offering), a B3 coordena a oferta de empresas que desejam abrir capital na bolsa. Dessa forma, com o IPO, as companhias são capazes de levantar recursos junto ao mercado e os seus acionistas fundadores conseguem vender parte da participação detida na sociedade.

Mercado de balcão

Outra função da B3 é a do oferecimento do mercado de balcão. Basicamente, esse mercado é responsável pela negociação de todos os ativos que não possuem permissão e que não são negociados na bolsa de valores.

E apesar da maior parte das pessoas não conhecer esse mercado, destaca-se que a sua existência e funcionamento é de fundamental importância. Isso porque o balcão fornece mais flexibilidade e facilidade para a negociação de ativos que não seriam negociados diretamente na bolsa de valores.

Custódia e Liquidação

Mais uma função da B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) no mercado é a de custódia e liquidação. De maneira simples, a bolsa brasileira também atua registrando, armazenando e publicando informações referentes aos ativos negociados nos mercados.

Dessa forma, ela se torna a responsável por liquidar os pagamentos das operações e por custodiar os investimentos detidos pelos investidores. Sendo que essa função é essencial para a garantia da segurança das negociações.

Certificação

Por fim, outra função e área de atuação da B3 no mercado é na concessão de certificações para profissionais do mercado. Sendo que essas certificações ocorrem na espera do PQO (Programa de Qualificação Operacional).

No PQO da B3, a bolsa oferece a possibilidade de profissionais do mercado de atestar seus conhecimentos em diversas áreas, como em:

  • Gestão de risco;
  • Compliance empresarial;
  • Back Office;
  • Custódia e cadastro.
  • Ativos negociados na B3

O que é o Ibovespa?

Apesar da maior parte das pessoas não entender a importância e o funcionamento da bolsa de valores, é muito comum ouvir nas mídias que a bolsa está em alta ou em baixa.

Para determinar isso, normalmente é utilizado o índice Bovespa, o Ibovespa. Assim, quando esse índice sobe, divulga-se que a bolsa está em alta; e quanto o índice cai, significa que a bolsa de valores está em queda.

Isso ocorre porque os índices da bolsa são excelentes termômetros para medir a variação média das ações negociadas no mercado. Sendo que para isso cada índice representa uma carteira teórica de papéis de empresas negociadas na bolsa.

E apesar de existirem diversos índices da B3, o Ibovespa é aquele que mais recebe atenção. Afinal, ele representa o desempenho médio e ponderado das principais companhias listadas na bolsa brasileira.

O Ibovespa é calculado com base em uma metodologia que captura para a composição de sua carteira as maiores e mais negociadas companhias da bolsa brasileira.

Por isso, pode-se afirmar que ele é o principal índice da B3. Afinal, o seu comportamento ao longo do tempo é capaz de representar mais fielmente a média do desempenho das companhias de capital aberto com maior importância na bolsa.

Entre as principais empresas do índice Bovespa estão:

  • Vale (VALE3);
  • Petrobras (PETR4);
  • Itaú Unibanco (ITUB4);
  • Banco Bradesco (BBDC4);
  • Magazine Luiza (MGLU3);
  • Ambev (ABEV3).

Qual a importância da B3 para o mercado brasileiro?

Depois de conhecer mais sobre a bolsa de valores brasileira, muitos investidores podem se perguntar qual a importância da B3 para o mercado brasileiro. Em primeiro lugar, é preciso destacar a sua relevância para o universo dos investimento. A B3 permite que investidores pessoa física tenham acesso a investimentos sofisticados com pouco dinheiro.

Ademias, a liquidez oferecida pela B3 também é fundamental, fornecendo mais segurança e previsibilidade na aquisição de ativos. isso porque, caso os investidores queiram realizar a venda, eles contam com um ambiente de negociação que é capaz de transformar o seu investimento em dinheiro com facilidade.

Por isso, pode-se afirmar que a B3 garante um espaço líquido e seguro para as negociações de compra e venda de ativos e que ainda fornece transparência ao mercado. Afinal, quase todas as negociações são públicas, então as pessoas conseguem saber exatamente o preço de determinado ativo.

Alguns dos outros benefícios da B3 para o mercado são:

  • Redução dos custos de transação;
  • Redução da assimetria de informação;
  • Democratização dos investimentos entre brasileiros;
  • Queda do risco de negociação de valores mobiliários;
  • Estimula a competitividade de empresas;
  • Financia a inovação de companhias.
  • Benefícios da B3 para a população brasileira

Por meio de IPOs e de follow-on, as empresas são capazes de captar grandes volumes de recurso no mercado junto com investidores.

E esses recursos, ao contrário daqueles captados por meio de empréstimos nos bancos, não precisam ser pagos. Afinal, aqueles que participaram do IPO ou do follow-on se tornaram sócios da empresa.

Dessa forma, as companhias podem utilizar o capital levantado para investirem em pesquisa de desenvolvimento e em projetos de inovação de produtos e tecnologias. No Brasil, por exemplo, a B3 foi capaz, ao longo do tempo, de financiar várias empresas em períodos de expansão, ajudando-as a investir em tecnologia e em inovação.

Como investir em ativos negociados na B3?

Depois de conhecer sua história, funções e importância para o mercado, uma dúvida deve ter continuado com algumas pessoas. Isto é, mas como investir nos ativos negociados na B3?

Para responder essa questão, abaixo o passo a passo para investir nos ativos da B3:

Agora que você conhece um pouco mais a bolsa, abra sua conta conosco e fale com um dos nossos assessores para começar a investir na bolsa de forma adequada e segura. Você não paga nada a mais por isso!

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
{{ reviewsTotal }} Review
{{ reviewsTotal }} Reviews
{{ options.labels.newReviewButton }}
{{ userData.canReview.message }}
Categorias

Cadastre-se em nossa
Newsletter Gratuita!

Não te mandaremos spam!