fbpx
Brasil

Governo Brasileiro e investimentos: qual a relação e o impacto entre eles?

Stéfano Caiula-
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
foto que representa a moeda real e um globo: governo brasileiroz e investimentos

Governo Brasileiro e investimentos têm uma estreita relação. Por isso, é importante que o investidor fique atento ao cenário político, principalmente em um período de grandes incertezas; como crises de saúde pública, econômica e política no Brasil.

Sabemos que as decisões políticas podem afetar diretamente o crescimento do país, influenciando o mercado de investimentos e, por consequência, impactando na vida da população de forma geral.Isso influencia as oscilações das taxas de juros – como o caso da taxa Selic – cotações dos ativos financeiros, ações de empresas de capital aberto, entre outros.

É fundamental que o investidor fique atento às movimentações políticas a fim de manter seus lucros, gerenciar riscos e entender as oscilações do mercado financeiro.

E por isso, nesse texto, vamos explicar como a política pode impactar o mercado de investimentos. 

Como a política interfere nos investimentos?

A ação da política sobre os investimentos causam tanto impactos positivos como negativos.

A política exerce uma influência muito agressiva e, na maioria das vezes, imprevisível, principalmente em momentos de crise, como o caso do Covid-19.

As decisões políticas acabam por influenciar as taxas de juros e o comportamento do mercado de ações. Como o mercado de investimentos é extremamente dinâmico, se ocorrer um aperto na condução da política monetária, por exemplo, em virtude de uma aceleração no nível de preços, essa elevação na taxa de juros vai ser rapidamente incorporada ao mercado de ações, influenciando o comportamento dos investidores e dos consumidores.

Geralmente, quanto mais estável a situação política no país, mais favorável é para os investidores no mercado de ações. Isso porque a bolsa de valores funciona por expectativa. Se a expectativa sobre o governo e a economia for positiva, a bolsa tende a subir, caso contrário cai.

Sendo assim, é fundamental acompanhar as mudanças no cenário político para identificar os impactos sobre a sua carteira de investimentos.

É preciso analisar o cenário político antes de investir

Com a redução da taxa Selic nos últimos anos (embora a gente esteja em um período de alta), os investidores brasileiros estão procurando cada vez mais por assuntos relacionados a investimentos e finanças pessoais. Portanto, podemos observar o quão importante é analisar o cenário político e seus impactos no cenário econômico.

Com isso, a análise de investimento deve ir além de avaliar a empresa na qual você quer investir seu capital.

É aconselhável que os investidores busquem analisar o cenário político para fazer aplicações mais seguras, além de fugir da instabilidade econômica de forma a alcançar maior rentabilidade e evitar perdas desnecessárias no curto prazo.

Nesse sentido, podemos pensar a influência da política no mundo dos investimentos, principalmente, em 3 tópicos. São eles: eleições, cenário macro e empresas estatais.

Governo Brasileiro e Investimentos

Eleições

O primeiro tópico é o das eleições. O resultado das eleições pode afetar diretamente os investimentos, ainda mais em países emergentes. Neles, constata-se que as democracias mais imaturas têm dificuldade em garantir o funcionamento pleno das instituições. Dessa forma, diferentes composições, tanto do executivo quanto do legislativo, interferem nos mercados financeiros.

Nesse sentido, o mercado brasileiro se pauta bastante na corrida eleitoral de 2 em 2 anos por conta das eleições. A cada 4 anos, temos as eleições presidenciais aqui no Brasil, mas na metade destes anos, temos as eleições americanas, consideradas muito importantes para o mercado financeiro em âmbito global.

Já que o mercado de capitais americano é o mais importante do mundo, as direções da economia estadunidense afetam também os outros países.

Política econômica do Governo Brasileiro

O segundo ponto da política que afeta os investimentos é a condução da política econômica do país. Define-se política econômica, o conjunto de ações tomadas pelo governo brasileiro para atingir determinados objetivos econômicos do país. Basicamente, a política econômica se divide em três subtemas: política fiscal, política monetária e política cambial.

A política fiscal busca manter o equilíbrio entre receitas e despesas públicas. A monetária controla a quantidade de moeda na economia (e inflação, por consequência). A cambial, administrar as taxas de câmbio.

Além disso, os Investidores devem sempre ficar atentos à condução da política econômica de um país. Ela influencia diretamente no ambiente de negócios. Pode impactar os investimentos seja pelo patamar da taxa de juros do país, pelo risco de não pagamento das dívidas, ou até pelo controle/descontrole da inflação.

Para o mercado financeiro, um país atrativo é um país que demonstra responsabilidade fiscal e não demonstra risco de calote na dívida. Um país que mantém a inflação sob controle e pouca ingerência política e jurídica no mundo dos negócios.

Com a recente proposta de tributação dos rendimentos dos fundos imobiliários, o IFIX (que é o índice de referência dos fundos imobiliários) registrou forte queda. Esse é apenas um dos diversos exemplos da relação entre o Governo Brasileiro e seus investimentos. 

Empresas estatais

O terceiro e último pilar da influência política sobre os investimentos é o das empresas estatais.

Empresas comumente chamadas de estatais são, no linguajar técnico, sociedades de economia mista em que o Estado é o acionista majoritário, mas o setor privado também é participante. Assim como qualquer outra empresa de capital aberto, as estatais devem entregar resultados e lucros aos seus acionistas.

Acontece que, nas últimas duas décadas, as empresas estatais vem sofrendo com forte ingerência política, pouca eficiência e resultados abaixo do esperado. Assim como escândalos de corrupção e improbidade administrativa.

Em fevereiro deste ano, depois de uma fala do presidente da República, não muito bem aceita pelo mercado, as ações da Petrobras despencaram.

E como as decisões do governo impactam nos diferentes mercados?

Bolsa de valores

A Bolsa de Valores funciona como um reflexo da economia real do país, antecipando as reações do mercado frente às decisões adotadas pelo Governo Brasileiro.

Ou seja, quando a confiança no governo aumenta, e as ações políticas conferem credibilidade aos investidores, a tendência é que a Bolsa suba.

Guia prático para operar na Bolsa de Valores

No entanto, se ocorrer o contrário, e houver uma descrença em relação ao país, devido à falta de políticas necessárias que podem ocasionar uma crise financeira, por exemplo, a credibilidade dos investidores cai e, junto à ela, o preço das ações.

É um “jogo” de expectativas. Se elas forem ruins, os investidores vão ficar mais cautelosos porque podem haver muitas dificuldades pela frente.

O ponto chave é que, uma crise na bolsa de valores pode desencadear uma série de problemas econômicos e sociais no país, como podemos ver na história financeira mundial.

Dólar

A volatilidade do dólar está diretamente ligada ao cenário político instável vivenciado pelo país.

E para entender é simples: quanto maior as incertezas e descrenças do mercado em relação ao governo, mais a moeda norte-americana se valoriza.

O oposto também ocorre: quando o mercado enxerga alguma possibilidade de mudança política, a tendência é que a moeda brasileira se fortaleça.

Portanto, quando acontece uma crise política no Brasil, os investidores se tornam menos confiantes em relação à economia e política do país, migrando, então, seus recursos para outros mercados.

O objetivo destes investidores é encontrar os investimentos que ofereçam os maiores retornos com os riscos mais baixos.

Porém, é importante ressaltar que as oscilações do dólar não afetam apenas investidores, mas a população no geral, uma vez dependendo de quanto o dólar subir, por exemplo, o aumento de preços pode ser geral, resultando também no aumento da inflação.

Juros

O Banco Central usa os juros para estimular ou segurar a expansão do país, e se baseia na Selic para colocar a inflação na meta do governo.

Quanto menor for a taxa Selic, menor é o custo do crédito no país, fazendo com que o consumidor compre mais e aqueça a economia.

Atualmente, por exemplo, com a inflação acima da meta, os juros no Brasil estão em leve alta, o que ajuda a valorizar o real. Sendo assim, o movimento da taxa de juros é outro fator que influencia o câmbio.

Atualmente, estamos com a taxa Selic a 4,25%.

Esse aumento torna o retorno de títulos de renda fixa um pouco mais interessante e com isso os investidores internacionais compram esses títulos de maior retorno.

Conclusão sobre o Governo Brasileiro e Investimentos

Como você pode ver, a política no Brasil em todo o mundo pode afetar o mercado de investimentos. Isso é ainda mais importante para que possamos destacar a importância do investidor diversificar seu portfólio.

Quer montar uma carteira de investimentos diversificada de acordo com seu perfil do investidor e objetivos? Agende um diagnóstico gratuito com nosso time de assessoria! Beneficie-se da relação entre o Governo Brasileiro e Investimentos!

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
{{ reviewsTotal }} Review
{{ reviewsTotal }} Reviews
{{ options.labels.newReviewButton }}
{{ userData.canReview.message }}
Categorias

Cadastre-se em nossa
Newsletter Gratuita!

Não te mandaremos spam!