fbpx
BDRs

Investir no exterior: guia por onde começar

Juliano Troyano-
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
como investir no exterior

O mercado brasileiro de investimentos está muito mais amplo e revolucionário através das plataformas abertas disponíveis e de fácil acesso. É possível investir no exterior pelo próprio mercado brasileiro e diversificar sua carteira de investimentos, sabia?!

Através de uma corretora de valores é possível acessar fundos internacionais, ETFs, e BDRs, por exemplo. Em seguida, vou te mostrar mais sobre as possibilidades.

Investir no exterior vale a pena? 4 razões para você internacionalizar seus investimentos

Fundos Internacionais

É uma forma de investimento muito similar aos tradicionais fundos já existentes no Brasil. Há um gestor, responsável pelas aplicações das estratégias e operações. No caso dos fundos internacionais, a exposição majoritária é em ativos estrangeiros.

Dessa forma, empresas globais e gestoras brasileiras com o know-how internacional realizam a gestão dos fundos internacionais. Então, ao acessar a plataforma da XP, você consegue todos os detalhes destes fundos antes de escolher o que faz mais sentido na sua carteira de investimentos.

Portanto, fundos de renda fixa global são para perfis conservadores. Fundos multiestratégias, para perfis moderados e fundos de ações e cambial, para perfis mais arrojados. Dessa forma, é importante conhecer e entender os riscos de cada estratégia. Além disso, o investidor deve sentir-se confortável com a escolha do investimento.

Sendo assim, é importante destacar que todo fundo com investimento no exterior é legalizado, devido ao fato de que os fundos no exterior são obrigados, pela Comissão de Valores Mobiliários, a incluir a observação “Investimento no Exterior” em cada título de ativo, atente-se a isso!

Algumas das principais razões para investir em fundos internacionais são:

  • Diversificação estratégica: acesso a composições de portfólio existentes em diversos países e características distintas.
  • Diversificação geográfica: acesso a investimentos nas principais economias ao redor do mundo, Estados Unidos, Europa, Ásia, mercados emergentes, como exemplos.
  • Exposição às maiores gestoras do mundo: acesso às empresas de gestão de recursos, que possuem total de ativos sob gestão maior que toda a indústria brasileira de fundos de investimento.

ETFs – Exchange Traded Funds

É o já conhecido, por muitos de nós brasileiros, como “fundo de índice”.

Portanto, são ativos negociados na bolsa brasileira [B]³ que reúnem um conjunto de ações em um mesmo ativo, sendo possível comprar cotas de fundos como se fossem ações, utilizando o código (ticker), direto no seu home broker.

Para investimento no exterior, pela Bolsa de Valores do Brasil, existem:

IVVB11 – iShares S&P 500

Busca refletir a performance do índice S&P 500 Brazilian Real Index. Assim, as 500 principais empresas dos Estados Unidos compõem o índice. Confira nosso artigo completo sobre o IVVB11.

BNP Paribas administra e a BlackRock Brasil realiza a gestão.

SPXI11 – It Now S&P 500

Reflete a performance do índice S&P 500 Net Total Return, e inclui a variação cambial.

É calculado pela Standard & Poor’s e gerido pelo Itaú Unibanco.

Importante saber que esses ETFs são classificados como renda variável e para fazer parte da carteira de investimento devem estar de acordo com a sua classificação de risco e perfil de investidor(a).

E as principais VANTAGENS:

  • Possuem menor custo de taxa de administração comparados aos fundos tradicionais.
  • Diversificação da carteira em ativos estrangeiros com apenas uma operação.
  • Possibilidade de comprar e vender as cotas do ETF como se fosse uma ação, pelo mercado secundário.
  • Acompanhar a composição e proporção da carteira teórica a qualquer momento.

BDRs – Brazilian Depositary Receipts

Essa é a forma de investir diretamente em empresas estrangeiras, através desses valores mobiliários (como se fossem ações das empresas) negociados na Bolsa de Valores brasileira.

Os BDRs também são classificados da mesma forma que a renda variável e possuem tributação de IR de 15% sobre o ganho nas negociações.

E as principais VANTAGENS:

  • Fácil acesso aos títulos de empresas listadas no exterior sem ter de pagar os custos relacionados a investimentos internacionais.
  • Possibilidade de investir em títulos listados no exterior, com operações realizadas no Brasil e liquidação feita em reais.
  • Novas opções de investimentos para diversificar a carteira.

Além disso, confira alguns exemplos de empresas estrangeiras que possuem esses títulos negociados na [B]³:

Empresas mais negociadas (com ticker de negociação):

1. Amazon (AMZO34)

2. Mercado Livre (MELI34)

3. Google (GOGL34)

4. Apple (AAPL34)

5. Microsoft (MSFT34)

6. Facebook (FBOK34)

7. Walt Disney (DISB34)

8. Berkshire Hathaway (BERK34)

9. Comcast Corp. (CMCS34)

10.  Visa (VISA34)

11.  Tesla (TSLA34)

12.  Johnson & Johnson (JNJB34)

13.  Home Depot (HOME34)

14.  Netflix (NFLX34)

15.  Mastercard (MSCD34)

Portanto, é tão simples quanto parece. Você fica sócio(a) das mais importantes e rentáveis empresas ao redor do mundo.

Investir no exterior por meio de uma corretora

Fazer o investimento no exterior através de uma corretora internacional também é possível. O processo é similar ao de abertura de conta em uma corretora brasileira e algumas já disponibilizam a plataforma em português.

Por fim, converse com o seu assessor de investimentos sobre estas possibilidades para investir no exterior e veja quais produtos são mais adequados para diversificar e proteger seu patrimônio.

Hoje, o mundo está ao nosso alcance!

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email
{{ reviewsTotal }} Review
{{ reviewsTotal }} Reviews
{{ options.labels.newReviewButton }}
{{ userData.canReview.message }}
Categorias

Cadastre-se em nossa
Newsletter Gratuita!

Não te mandaremos spam!